Geoparque Cariri Paraibano

O Projeto Geoparque Cariri Paraibano encontra-se em fase de implementação. Sua proposta está sendo construída como uma parceria entre a Universidade Federal da Paraíba (Campus IV – Litoral Norte), Serviço Geológico do Brasil – CPRM, Organizações Sociais e a comunidade local dos municípios que dele farão parte, e que são: Cabaceiras, Boqueirão, São João do Cariri e Boa Vista.

Localizacao _PGCP

A área do geoparque será de aproximadamente 1.980 km2, correspondendo ao somatório dos territórios dos 04 municípios que o compõe. Neste território já foram identificados e classificados 16 geossítios, com conteúdos e interesses diversos, havendo possibilidade de franca expansão destes na medida em que os trabalhos de inventário e promoção do geopatrimônio avancem.

A litologia básica da área é composta por rochas magmáticas (granitos e ocorrências localizadas de basaltos) e metamórficas (gnaisses, filitos, xistos e migmatitos). A região é possuidora de notável beleza cênica derivada da presença de batólitos, inselbergs e diques associados ao magmatismo ocorrido no Neoproterozóico. Destaca-se ainda a Bacia Sedimentar de Boa Vista – BBV, onde ocorrem pillow lavas, depósitos sedimentares bentoníticos.

Interessante também é destacar o grande potencial paleontológico e arqueológico existente na região. Em quase todos os municípios da região pode-se identificar sítios arqueológicos constituídos principalmente de artes rupestres na forma de gravuras (itacoatiaras) e de pinturas em rochas e, em pelo menos 06 municípios já foram relatadas descobertas de registros fósseis de animais da megafauna (LIMA E MENESES, 2012), além de depósitos fossilíferos de restos vegetais na BBV, onde predominam espécies das famílias Fabaceae, Lauraceae, Annonaceae, Burseraceae, Anacardiaceae, Myrtaceae e Malvaceae (PANIZ, 2015).

A atuação dos agentes intempéricos (químicos, físicos e biológicos) sobre as rochas da região, ao longo do tempo geológico, produziram feições que se destacam na paisagem, tais como diques em forma de muralhas (como a Muralha do Meio do Mundo no município de São João do Cariri) e os boulders ou mares de bolas (Lajedo do Pai Mateus em Cabaceiras, por exemplo), pela denudação ou pelo esculpimento das rochas, respectivamente (MENESES E NASCIMENTO, 2014b).

A região onde se insere o PGCP apresenta, portanto, uma paisagem de excepcional beleza, em grande parte relacionada ao seu patrimônio geomorfológico, que já se consolidou como atrativo turístico de expressividade nacional e até internacional. O local possui atrações de importância para a prática do (geo)turismo, representando exemplo de sucesso em projetos de conservação ambiental e interiorização turística.

A UFPB tem sido  uma instituição parceira no fomento da proposta, colaborando com projetos de extensão e ensino para divulgar o projeto e promover a educação ambiental, além de projetos de pesquisa visando o inventário dos geossítios, a identificação do potencial natural/cultural da região e estudos de conservação do geopatrimônio.

 

REALIZAÇÃO:

LOGO UFPB_0logo_campus-iv-ufpb-colorida

APOIO:

         

PARCEIROS:

logoSebrae